Voltar

AUGUSTO HILÁRIO

(1864-1896) – fadista

Augusto Hilário nasceu em Viseu, no ano de 1864. O registo de baptismo revela que foi exposto na roda, sendo inicialmente batizado com o nome de Lázaro Augusto. Provavelmente fruto de uma relação pré-matrimonial, viria a ser reconhecido pelos seus pais. Pretendendo ingressar na Faculdade de Filosofia, em Coimbra, frequentou o Liceu de Viseu sem grande sucesso, tal como em Coimbra, inicialmente. Pelo contrário, a boémia coimbrã encantou-o e notabilizou-se rapidamente pela sua voz nas serenatas e na Tuna Académica. Tocando inicialmente bandolim, veio a tornar-se uma figura lendária do Fado de Coimbra, acompanhando-se à guitarra e sendo apreciado pela sua capacidade de improviso. Seria imortalizado pelo “Fado Hilário”, da sua autoria.
Este generoso e cativante boémio, cantor, guitarrista, poeta, compositor, ator acabou por ingressar no curso de Medicina em 1892. Não o chegaria a concluir, morrendo subitamente na sua casa em Viseu, aos 32 anos, na noite de 3 de Abril de 1896. O funeral decorreu com grande emotividade e a presença de milhares de pessoas.
Dias depois, em mensagem dirigida à sua mãe, amigos e colegas exprimiam o sentimento dominante: «Está de lucto a mocidade portuguesa». À Rua Nova onde morava foi dado o seu nome, em 1979.