Voltar

“Ópera no Património” leva espetáculos gratuitos aos jardins de Viseu e às freguesias de Orgens e Campo

Em 2018, Município aposta numa oferta cultural descentralizada, em sítios do património verde e histórico. Programação arranca esta quinta-feira, dia 28

A 2ª edição do projeto cultural “Ópera no Património” tem este ano a sua estreia marcada na cidade de Viseu, trazendo a palco a Ópera “Eugene Onegin”, de Piotr Tchaikovsky, e um reportório associado a esta obra de referência. O arranque do programa está agendado para esta quinta-feira, dia 28 de junho, com dois concertos pelas 17 e 19 horas, no Museu do Quartzo e na Quinta da Cruz, respetivamente

Se em 2017 a programação tinha a sua maior expressão no centro urbano, este ano, o Município de Viseu realiza uma nova aposta na descentralização do cartaz de espetáculos, ao levar a música erudita e a Ópera às freguesias de Orgens, do Campo e de Repeses e São Salvador, valorizando o património “verde” - como bosques e jardins - e histórico.  

O Convento de São Francisco do Monte, o Museu do Quartzo e a Quinta da Cruz, a par da Casa do Miradouro e da Sé de Viseu, serão os “palcos” privilegiados desta programação gratuita e para todos os públicos, que se prolonga até 1 de julho.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, “tivemos em 2018 a coragem de descentralizar e democratizar esta oferta cultural erudita fora da cidade ou em alguns dos nossos espaços verdes”.

Já o Vereador da Cultura, Jorge Sobrado, sublinha “o excelente pretexto que se cria para conhecer monumentos notáveis de Viseu, como o Convento de Orgens, a escarpa do monte de Santa Luzia ou os jardins da Casa do Miradouro”.  

O dia 29, sexta-feira, é reservado a um espetáculo por um Grupo de Cordas, pelas 17 horas, na Casa do Miradouro. Já a noite convida todos a assistir ao ensaio da visitação à Ópera “Eugene Onegin”, pelas 21H30, na Quinta da Cruz, cuja estreia está marcada para o dia seguinte (sábado, 30 de junho), pela mesma hora e local.

Já o Convento de Orgens albergará um concerto com um Grupo de Sopros, pelas 18 horas de sábado. A Sé de Viseu servirá de cenário ao último dia da programação, com o concerto coral sinfónico “A Criação”, do compositor austríaco Joseph Haydn.

Apesar da entrada gratuita, e tendo em vista o controlo da lotação, os interessados em assistir aos concertos devem levantar os ingressos no Quiosque de Turismo, no Rossio, até ao dia anterior a cada espetáculo ou, em alternativa, nos locais de realização.

A par de Viseu, os Municípios de Leiria, Batalha, Pinhel, Vila Nova de Foz Côa e Coimbra integram também a organização do projeto “Ópera no Património”, cuja direção artística e programação estão a cargo do Maestro José Ferreira Lobo. Este é um projeto trienal, que teve a sua primeira edição em 2017, e que visa aliar a realização de eventos de Ópera ao património, à cultura e aos bens culturais de cidades situadas na Região Centro do país, para além de promover o acesso descentralizado deste género musical e a formação de novos públicos, especialmente o infantil.

Depois de um ciclo de concertos nas várias cidades, a Ópera vai viajar novamente até às escolas de Viseu, em outubro, para diversas ações pedagógicas. Em 2017, foram 1100 crianças do 1º ciclo do ensino básico que estiveram envolvidas nestas ações, levadas a cabo pelo tenor lírico Paulo Lapa.

A “Ópera no Património” é uma iniciativa que conta com financiamento comunitário, no âmbito do Portugal 2020.