Voltar

Arte pública no mundo rural é aposta ganha no 3º Festival de Street Art de Viseu

São já 26 as “telas a céu aberto” em Viseu, a que se junta a primeira “instalação” na Quinta de Reis. Rodrigo Leão e Scott Matthew juntaram 4 mil pessoas no adro da Sé

 

No “Ano Oficial para Visitar Viseu”, o “Tons da Primavera” reforçou o seu potencial na agenda turística da cidade vinhateira. O primeiro evento enoturístico do ano, que harmoniza o street art, os néctares do Dão e um cartaz musical pop e disco, garantiu a presença de milhares de visitantes ao longo dos últimos quatro dias, entre 18 e 21 de maio.

Nesta nova edição, quatro coletivos e seis artistas responderam ao desafio do Município de Viseu e da VISEU MARCA e levaram a arte pública ao espaço rural e escolar, tendo por referências as marcas de Viseu enquanto cidade-jardim e cidade vinhateira.

“Uma aposta ganhadora”, nas palavras do Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques. “Viseu ganha novas 10 paisagens artísticas originais que conferem maior atratividade e identidade aos seus lugares”, sublinha. “É já um roteiro identitário e com expressão”.

Com manifestação que vão do graffiti à pintura clássica, da ilustração à instalação, cinco quintas do Dão (Falorca, Chão de São Francisco, Turquide, Pedra Cancela e Reis), quatro escolas básicas (São João de Lourosa, Loureiro de Silgueiros, Ribeira e Balsa) e a APPACDM de Viseu conquistaram novos tópicos de reconhecimento e visitação.

Foram criadores nomes tão reconhecidos como o Coletivo RUA, Tamara Alves, Pichi & Avo, ADD Fuel, Jorge Abade, Break One e Pedro Podre, a que se juntaram os viseenses Tiago Lopes, Luís Belo e Ana Seia de Matos e o coletivo Ergo Bandits.

Também a arte relacional do Atelier Ser conquistou centenas de crianças das escolas básicas cujas fachadas foram intervencionadas durante o festival, com oficinas de serigrafia, levando à comunidade escolar o respetivo processo criativo.

O roteiro da arte urbana em Viseu conta agora com 26 “telas a céu aberto” e uma instalação artística (na Quinta de Reis, da autoria de Tiago Lopes), que convidam os visitantes a um vaivém de experiências entre a cidade e o campo.

“O street art é já uma marca indissociável de Viseu, com lugar cativo nas opções turísticas de quem nos visita”, destaca o Presidente da Câmara.

Segundo o curador artístico festival, DRAW, “o Tons da Primavera é uma referência no mapa nacional do street art. Este ano soubemos inovar e diferenciar ainda mais o festival.”

A programação do “Tons da Primavera” trouxe ainda ao Centro Histórico da cidade um concerto de Rodrigo Leão e Scott Matthew, na noite de sábado, que viram encher o Adro da Sé com mais de 4000 pessoas. Também a banda Fingertips, a artista Rita Redshoes e o “Embaixador” de Viseu Moullinex atuaram na Fonte das 3 Bicas, com “casa” cheia.

Durante quatro dias, o Mercado 2 de Maio encheu-se de viseenses e visitantes, que desfrutaram de um mix de experiências: provas de vinhos e sabores do Dão, música ao vivo, showcookings, oficinas, street food e visitas guiadas ao roteiro de street art.

A VISEU MARCA, responsável pela produção executiva do evento, destaca “a crescente dinâmica turística que a agenda de eventos vinhateiros garante à cidade-região, bem como a exposição pública de Viseu enquanto destino turístico urbano, trendy e criativo”. “Um evento que impulsiona e destaca os talentos, embaixadores e empreendedores da cidade e da região”, conclui a associação de city marketing.

O “Tons da Primavera” é uma iniciativa promovida pelo Município de Viseu, com produção executiva da VISEU MARCA e a parceria da Comissão Vitivinícola Regional do Dão (CVR do Dão). São ainda parceiros do evento a Auto Sertório e a GALP.