Voltar

Perto de 300 visitantes regressaram aos Museus Municipais de Viseu na sua primeira semana de reabertura

Agenda do “Dia Internacional dos Museus” registou uma “adesão muito positiva”: iniciativas online conquistaram 504 “visitantes digitais”. No seu primeiro ano, polo virtual do Museu de História da Cidade alcançou 8500 visitas

Depois de um encerramento forçado, em virtude da pandemia do COVID-19, os Museus Municipais de Viseu reabriram as portas das suas “casas” a viseenses e visitantes, na passada semana, marcada por uma programação intensa de lançamentos, apresentações e iniciativas digitais, oficinas, visitas guiadas e roteiros, integrada nas comemorações do “Dia Internacional dos Museus”.

Nesta reabertura, de 18 a 24 de maio, os sete núcleos museológicos municipais de Viseu registaram uma adesão muito positiva de público. Presencialmente, em exposições, oficinas, roteiros e visitas guiadas, foram 277 os visitantes que aceitaram as experiências propostas, retomando a participação nesta programação cultural.

Dessas quase três centenas de visitantes, a Quinta da Cruz – Centro de Arte Contemporânea é responsável por mais de metade. 174 visitantes foram conquistados pela nova exposição de Pedro Cabrita Reis na casa principal da Quinta, da escultura de luz “I dreamt your house was a line”.

A adesão não se ficou por aqui. Nos sites e redes sociais dos museus municipais foram realizadas várias atividades e conteúdos, que conquistaram também seguidores. Nestes eventos, contaram-se 504 “visitantes digitais”. Das atividades difundidas “ao vivo”, em streaming, o Museu Almeida Moreira conquistou o primeiro lugar, através da apresentação do catálogo da exposição “Beira Ilustre”, de Rosário Pinheiro, com 115 participantes.

“Foi um regresso feliz e bem-sucedido”, resumiu o Presidente da Câmara Municipal de Viseu, António Almeida Henriques. “Superou mesmo as expectativas iniciais, prova que a população se sente segura nestas casas e reconheceu o esforço que realizámos na proteção dos visitantes”, rematou.

A semana assinalou ainda o primeiro ano de vida  do polo virtual do Museu de História da Cidade de Viseu, disponível em www.mhcviseu.pt e na app Viseu 5.0.

“Ao cabo dos primeiros 12 meses, este polo – um dos mais evoluídos e completos dos museus municipais digitais do país, em termos tecnológicos e de conteúdos – registou mais de 8500 visitas”, avançou o Vereador da Cultura, Jorge Sobrado. “No período da pandemia, o número de visitas médio mais que duplicou”, destacou.

Entre estes novos lançamentos, destaque para projetos muito simbólicos na (re)descoberta da história e identidade da cidade.

Exemplo maior é a constituição da Imagoteca do Museu de História da Cidade, um novo centro de recursos dedicado à recolha, arquivo, preservação, digitalização, estudo e divulgação de documentos de imagem representativos da história da Cidade e do Concelho, especialmente de fotografias, mas também postais ilustrados, cartazes e filmes, datados até ao final do século XX. Está já disponível em www.mhcviseu.pt/imagoteca.php.

No plano tecnológico, ganham relevo os “Storymaps” do Polo Arqueológico de Viseu, um projeto de storytelling que organiza, no tempo e no espaço, um conjunto de informações sobre pessoas, objetos e sítios arqueológicos, que contam histórias sobre o património arqueológico da cidade e região. Está também disponível online, em www.poloarqueviseu.pt/storymaps/.

A par deste, tiveram a sua estreia online também os catálogos digitais das exposições “Aspetos do Nosso Trajar”, lançada em 2018, com a curadoria de António Lopes Pires e a parceria do Museu Etnográfico de Silgueiros; e “Ícones da História de Viseu: o despertar do Museu”, que apresenta textos inéditos relativos a algumas das obras de arte, monumentos ou documentos mais relevantes da história de Viseu, da autoria de investigadores como Armando Coelho, Catarina Tente, Manuel Luís Real ou Pedro Sobral de Carvalho.

Pese embora a reabertura de portas dos Museus Municipais, e o estabelecimento de um protocolo de medidas de segurança, proteção e higienização, onde se destaca o uso obrigatório de máscara e o cumprimento das regras de distanciamento social e higienização, o Município de Viseu continuará a sua aposta crescente na valorização do universo digital e das redes sociais, procurando levar a todo o público novos conteúdos, desafios e experiências dos seus espaços museológicos.