Voltar

Viseu aposta na dinamização do comércio local e numa programação cultural segura, neste Natal

Campanha “Escolha bem, escolha local” apela ao consumo no comércio e restauração locais, à solidariedade e à cultura segura. Rua Direita integra Mercado de Natal. Cidade-jardim é cidade-luz.

 

Entre 27 de novembro e 6 de janeiro, Viseu veste-se de luz para viver a magia da quadra natalícia e proporciona iniciativas culturais seguras para toda a família, grande parte das quais em formato digital.

O Município de Viseu avança ainda com uma campanha promocional, sem precedentes, de estímulo ao consumo no comércio e na restauração locais, à solidariedade social e à frequência de espaços culturais seguros.

Famílias, jovens e crianças viseenses dão a cara por uma campanha que chega às ruas esta semana e que motiva toda a comunidade a contribuir para a animação económica local, causas sociais ligadas à deficiência e para experiências culturais seguras.

“Neste Natal temos o dever de criar uma consciência social, económica e cultural mais forte. Todos podemos e devemos contribuir para que ninguém seja deixado para trás. É esse o sentido das apostas que fazemos”, afirmou o Presidente da Câmara Municipal, António Almeida Henriques.

Este ano, serão cerca de 390 mil lâmpadas a iluminar a cidade-jardim, de baixo consumo e com tecnologia LED, que se acendem já na próxima sexta-feira, dia 27. A ligação será realizada ao final da tarde, no Rossio, e o momento será transmitido em live streaming no Facebook do Município de Viseu.

As decorações luminosas deste ano vão embelezar 31 praças, avenidas, ruas e edifícios na cidade, feitas de mais de 39 quilómetros de cordão de luz. O centro histórico vai ter seis instalações de luz, uma delas também com som, e as Freguesias vão desfrutar de 29 espaços iluminados de Natal.

Rossio volta a receber uma grande peça de luz: um presente gigante. Neste Natal, o CUBO MÁGICO do verão regressa à Praça da República em forma de prenda, com um gigantesco laço no topo.

O projeto de iluminação de Natal resulta de um acordo de parceria com a AHRESP – Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal e terá novas extensões neste ano: a Rua Miguel Bombarda recebe iluminação pela primeira vez e a Avenida António José de Almeida é integralmente coberta.

Neste Natal, não é só a luz que vai embelezar o centro histórico. A cidade-jardim vai ficar ainda mais florida com elementos ajardinados decorativos na Rua Formosa, Rua Direita, Largo Mouzinho de Albuquerque, Praça D. Duarte, Rua da Paz, Avenida Alberto Sampaio (escadinhas de Santo Agostinho) e Largo General Humberto Delgado.

Outra das novidades deste ano é a extensão do Mercado de Natal, que habitualmente está residente no Mercado 2 de Maio, para a Rua Direita10 das lojas devolutas irão reabrir, entre 28 de novembro e 6 de janeiro, com novas ofertas de artesanato tradicional e urbano, gastronomia e vinhos.

“É um passo mais no esforço de revitalização da Rua Direita, a que se seguirá no início de 2020 a adoção de um sistema de incentivos ao arrendamento comercial e à modernização de lojas”, declarou o Presidente da Câmara.

A rua histórica de Viseu vai receber a “1ª Loja de Artesanatos de Viseu”, um espaço de “exposição e venda de peças artesanais de Estanhos Artísticos de Bodiosa e de Linho de Várzea de Calde, entre outros patrimónios tradicionais, numa organização dos Museus Municipais”, avançou o Vereador da Cultura, Jorge Sobrado.

Já o Mercado 2 de Maio vai receber 18 operadores e comerciantes de produtos típicos da época, nas habituais casinhas de madeira. Doçaria tradicional, chocolataria, queijaria, charcutaria, vinho do Dão, padaria, cafetaria, frutaria e frutos secos, florista, artesanato e produtos tradicionais é o que os viseenses e visitantes vão podes adquirir na praça histórica.

A ACDV – Associação Cultural do Distrito de Viseu é a instituição parceira do Município nesta organização.

No que toca à programação cultural, as principais apostas viram-se para os Museus Municipais e a Biblioteca – considerando as excecionais condições de segurança, booking e higienização dos espaços, certificados com o selo CLEAN & SAFE, atribuído pelo Turismo de Portugal – e para os eventos em formato live streaming.

Além do Festival Internacional de Música da Primavera e do Festival Literário Tinto no Branco, também o Concerto de Coros de Natal será transmitido via online e num modelo de segurança para coralistas. O Pelouro da Cultura do Município avança ainda com a iniciativa “30 Noites, 30 Contos”, em modo digital, para valorizar a tradição do conto de Natal e a experiência literária nesta quadra.

Este ano, o Museu Almeida Moreira volta a receber a grande exposição de Natal, com inauguração marcada para 13 de dezembro. “Arte Popular no Natal” evoca o imaginário da natividade cristã e a diversidade artística das suas representações.

Todos os Museus Municipais apresentam para a quadra uma programação segura, com novas exposições temporárias, sessões de cinema, oficinas de Natal, atividades familiares e a disponibilização de “kits” de trabalho para levar para casa, mas reforçam também a sua presença digital.

O Polo Arqueológico de Viseu aproveita o Natal para lançar a sua página web e organizar um conjunto de oficinas sobre “a pré-história do cinema”, através de brinquedos óticos de “quando o cinema ainda não era cinema”.

Já o Museu de História da Cidade publica uma timeline digital da história de Viseu e organiza um programa de oficinas de “azulejos repintados”, a partir de uma visita à Capela de Santo António do Solar de Condes de Prime, onde vai decorrer a atividade.

O Museu do Quartzo – Centro Interpretativo Galopim de Carvalho organiza espetáculos de magia e ciência, em live streaming, dirigidos ao público infantil, e um workshop de gastronomia com um ingrediente usado há três mil anos: a farinha de bolota.

Por sua vez, a Quinta da Cruz regressa em força, na última parte de 2020, à fotografia e ao cinema. A 12 de dezembro abre a grande exposição “14/24: Fotografia Contemporânea da Fundação ALTICE Portugal”, numa importante seleção de obras e autores da transição do século XX para o século XXI, na arte fotográfica nacional; a terceira “Mostra de Arte Postal” dedicada ao tema “Luz, câmara, ação”; e a “pequena” exposição “Grandes Cartazes para Filmes Pequenos”, numa parceria com o Cine Clube de Viseu. 

“A Cultura é um bem público essencial. Não se conforma com a impossibilidade, nem se pode confinar. Em momentos de crise, temos a obrigação de reinventar o modo de chegar aos nossos públicos e cumprir a nossa missão”, afirma o Vereador da Cultura, Jorge Sobrado. “A aposta em eventos de pequena escala e a digitalização são as nossas apostas. Substituímos dimensão por intensidade”, rematou.

O programa completo pode ser consultado aqui e nas redes sociais do Município de Viseu.