Notícias


Em maio e junho, as cortinas voltam a abrir e o palco enche-se de histórias para o 23º Festival de Teatro Jovem e Amador de Viseu

É já esta sexta-feira, dia 17 de maio, que o Auditório Mirita Casimiro abre portas para a iniciativa municipal. São 15 as peças de teatro a concurso, a serem apresentadas ao público até 12 de junho De 17 de maio a 12 de junho, a Cidade-Jardim é berço do 23º Festival de Teatro Jovem e Amador de Viseu. A iniciativa municipal regressa ao palco do Auditório Mirita Casimiro, esta sexta-feira, dia 17 de maio, fazendo deste a sua casa até 12 de junho. Nesta 23ª edição, são 15 as peças de teatro originais que integram o cartaz da programação, interpretadas por grupos de teatro do concelho, de escolas e associações, as quais irão concorrer pelos Prémios "Melhor Peça de Teatro”, " Melhor Interpretação” e "Melhor Interpretação Secundária”. “É com orgulho que falo deste projeto, já com 23 “primaveras”, que se assume como pilar na valorização e promoção artística dos grupos de teatro do nosso concelho, mas também como uma “escola viva” no que à aprendizagem diz respeito. É um encontro feliz de vontades, de sonhos, de conhecimentos e de gerações, que no palco ganha magia e a todos nos encanta”, afirma o Presidente da Câmara Municipal, Fernando Ruas. Para além dos prémios acima mencionados, e de forma a homenagear uma das personalidades mais notáveis no estudo do teatro, o Município de Viseu, atribuirá, ainda, o Prémio "Osório Mateus”, ao melhor texto original, fazendo referência a este ilustre professor, investigador e encenador, natural da cidade de Viseu. A autarquia dirige ainda a cada grupo um Prémio de Participação no valor de 350 euros. Os bilhetes poderão ser adquiridos junto dos grupos responsáveis pelas peças de teatro, previamente ou no próprio dia, hora e local do espetáculo. A entrada de crianças até aos 12 anos (inclusive) será gratuita. Para pessoas portadoras do Cartão Municipal Jovem ou Sénior, o valor será de 2 euros; e para maiores de 12 anos, o valor será de 3 euros. O Festival de Teatro Jovem e Amador de Viseu é uma iniciativa anual, organizada pela Câmara Municipal de Viseu. Assume como objetivos principais o incentivo às Escolas para que desenvolvam a prática do teatro; o apoio, a valorização e a divulgação do trabalho desenvolvido no campo da produção teatral pelos grupos integrados nas Escolas e Associações de Viseu; a descoberta de novos valores no e para o teatro; a fidelização e criação de públicos diversificados, sensibilizando-os para a importância do teatro nos hábitos culturais, como forma de conhecimento, entretenimento e inclusão social; e a partilha de experiências entre os grupos. O programa completo pode ser consultado online, AQUI. 

APECV leva à Quinta da Cruz nova exposição que celebra o professor de artes visuais como artista

“Professor Artista” inaugura a 18 de maio. Exposição é da autoria do Grupo de Investigação em Artes, Comunidade e Educação (GriArCE) e coproduzida pela Associação de Professores de Expressão e Comunicação Visual (APECV) e a Quinta da Cruz – Centro de Arte Contemporânea No próximo dia 18 de maio, pelas 17H30, a Quinta da Cruz – Centro de Arte Contemporânea acolhe a inauguração da exposição “Professor Artista”, organizada pelo Grupo de Investigação em Artes, Comunidade e Educação (GriArCE) e coproduzida pela Associação de Professores de Expressão e Comunicação Visual (APECV) e a Quinta da Cruz - Centro de Arte Contemporânea.   Esta exposição pretende dar a conhecer o professor de artes visuais como artista. Muitos professores, para além do seu trabalho docente, têm uma prática artística contínua, sendo para eles o processo artístico, um processo de reflexão constante, de inquietação e indagação. “Com esta iniciativa, a APECV rende homenagem a uma artista, professora, que nos deixou memórias ricas de afetos, de singeleza, generosidade e sabedoria: a pintora Ana Bela Lacerda, a primeira professora artista que expôs no programa Arte e Educação da associação, em 2010, na sede da APECV da rua do Heroísmo, no Porto”, avança a organização. A exposição reúne trabalhos de Ana Bela Lacerda; Emília Lopes; Teresa Torres; Rui Alexandre; Ângela Saldanha; Augusta Gaspar; Alexandra Baudouin; César Paulo; Maria José Maçães; Juliana Ferreira; Lúcia Ribeiro, Augusta Teixeira; José Dias; Rui Crespo; Gabriela Pereira; Catarina Ribeiro; Elsa Navarro; José Maló; Jesus Rebolho; Rui Fonseca; António Meireles Pinto; Rui Souto; Rosário Forjaz; Célia Ferreira; Alexandra Ribas; Isabel Medeiros & José Basto. Esta é uma exposição que está inserida na programação do Dia Internacional dos Museus.

“Ribeira com Tradição” vai celebrar o melhor da doçaria e artesanato da região na Casa da Ribeira

Evento realiza-se dia 19 de maio e integra a programação do Dia Internacional dos Museus. Domingo será marcado por diversas atividades, exposições e animação para toda a família A Casa da Ribeira irá receber o evento "Ribeira com Tradição", que promove os produtos endógenos, a cultura e o artesanato local em Viseu. O evento acontecerá no dia 19 de maio, domingo, entre as 10 e as 18 horas. A iniciativa irá reunir atividades para todos os visitantes, dentro e fora do Museu Municipal, onde estes poderão desfrutar de uma pequena mostra e venda de produtos tradicionais, desde a doçaria e pastelaria, até pão fresco, azeite, mel, enchidos e charcutaria, além de vinhos do Dão e outros produtos da terra. Além disso, será ainda possível participar de momentos musicais ao vivo, proporcionados pelas atuações do Grupo de Cavaquinhos de Passos de Silgueiros, do Rancho Folclórico de Santiago e do Grupo Musicando. Os visitantes terão, igualmente, oportunidade de participar em oficinas dedicadas ao artesanato. Uma vocacionada para a Cestaria, com Fernando Sampaio, e outra à Olaria, com Sérgio Amaral. Na vertente do artesanato, para além da mostra de produtos e oficinas, os artesãos estarão também a exercer ao vivo a sua arte, para que todos possam observar de perto. A “Ribeira com Tradição” proporcionará ainda visitas às exposições da Casa da Ribeira para todos os interessados.

Educação e Investigação são tema do Dia Internacional dos Museus e Viseu celebra a data com atividades para todos

Programa decorre de 16 a 19 de maio. Exposições, lançamentos de livros, debates, oficinas e eventos dedicados à doçaria são propostas para viseenses e visitantes “Museus para a Educação e a Investigação” é o tema lançado pelo ICOM – International Council of Museums, para assinalar o Dia Internacional dos Museus, em 2024, data que se comemora a 18 de maio. Em Viseu, o Município, através dos seus Museus Municipais, preparou um programa de atividades para usufruto de toda a comunidade, entre os dias 16 e 19 de maio. Exposições, lançamentos de livros, debates e atividades que promovem o desenvolvimento crítico são alguns dos programas preparados para estes dias, que pretendem realçar a importância dos museus como instituições educativas dinâmicas, as quais promovem a aprendizagem, a descoberta e a compreensão cultural. O evento “Ribeira com Tradição” é um dos destaques da programação. Este envolve uma pequena mostra e venda de produtos endógenos, doçaria, vinhos do Dão, artesanato, visitas às exposições da Casa da Ribeira, workshops, trabalho de artesãos ao vivo e animação musical. Será no domingo, dia 19, entre as 10 e as 18 horas, convidando os visitantes a usufruir da zona da Ribeira e do Museu Municipal. De salientar é também a inauguração da nova exposição temporária da Associação Professores Expressão Comunicação Visual (APECV), intitulada “Professor Artista”, no dia 18, na Quinta da Cruz – Centro de Arte Contemporânea. Esta exposição procura dar a conhecer o professor de artes visuais como artista, ou seja, para lá da sua carreira docente. No âmbito desta programação, a APECV organiza ainda o seminário "Artes e Educação entre Culturas", que se irá realizar no mesmo dia. Este irá abordar questões relativas ao mapeamento da diversidade cultural em contextos de educação e mediação cultural. Diversos oradores convidados irão discutir conceitos como Multiculturalidade, Transculturalidade e Interculturalidade, no Centro de Arte Contemporânea. Também o Museu Keil Amaral irá receber, no dia 18, o seminário “Reclaiming Rural Narratives”. Nesta iniciativa, serão discutidos temas como a crise energética, tensões geopolíticas, injustiça climática e retrocessos nos direitos fundamentais. Também serão analisados projetos artísticos da atualidade que problematizam relações de interdependência entre criação artística, pensamento ecológico e lógicas de sustentabilidade. No dia 17 de maio, os Jardins da Casa do Miradouro/Polo Arqueológico António Almeida Henriques serão outro dos palcos de programação. Pelas 21 horas, terá lugar o espetáculo "Natália(s)", com encenação e coreografia de Mariana Silva, criado com alunos e professores da Escola Secundária Alves Martins. A entrada é gratuita, sujeita à lotação do espaço.  "Natália(s)" é um espetáculo criado a partir da vida e obra da escritora e poetisa Natália Correia, que convida o público a conhecer as suas diversas facetas. A peça desenrola-se em dois espaços fundamentais, a casa de Natália Correia e o Botequim, onde se cruzam sonhos, lutas, risos, perdas e conquistas. "Conhecer Natália Correia é levar os/as jovens a mergulharem e visitarem a memória mais recente do nosso país, na descoberta dos caminhos que trouxeram a conquista de valores que hoje vivem como seus, mas que está nas suas mãos garantir e preservar para o futuro", avança a equipa.  Outro destaque será a oficina "Arte Viva – Antes e Agora", no Museu Almeida Moreira, onde os participantes terão a oportunidade de desenvolver o senso crítico, fomentar a expressão corporal e facial, expressar sentimentos através de fotografia e promover um olhar atento sobre obras sem exposição. Terá lugar nos dias 16 e 17. No Museu de História da Cidade, também nos dias 16 e 17, a atividade de expressão dramática “Eleição dos Bichos” será, igualmente, uma iniciativa enriquecedora para estes dias de celebração, onde os participantes serão incentivados a explorar o seu sentido crítico e a encenar uma história.  Ao longo destes quatro dias, será possível beneficiar de visitas guiadas disponíveis nos oito Museus Municipais, as quais são sujeitas a marcação prévia e a um número mínimo de 5 pessoas.

Nos 50 anos da Liberdade, Viseu relembra a Revolução pela lente do fotógrafo Sérgio Valente

“Um fotógrafo na Revolução” é inaugurada amanhã, pelas 15 horas, no Museu Almeida Moreira. Exposição do fotógrafo portuense alude a diversos acontecimentos e personalidades, nos anos pré e pós-Revolução dos Cravos No âmbito do programa de comemorações dos 50 Anos do 25 de Abril em Viseu, o Museu Almeida Moreira acolhe uma exposição de fotografia, da autoria de Sérgio Valente, que retrata aspetos do processo de desenvolvimento e refluxo revolucionário. A inauguração está agendada para amanhã, dia 30 de abril, pelas 15 horas, e contará com a presença da Vereadora da Cultura e Turismo da Câmara Municipal de Viseu, Leonor Barata. A exposição é constituída por diversas fotografias, a cores e a preto e branco, que documentam um vasto número de acontecimentos e os seus protagonistas, os quais a objetiva de Sérgio Valente foi captando, entre os anos de 1964 e 1982, nos vários concelhos do distrito do Porto, com maior incidência na cidade Invicta. Sérgio Valente nasceu no Porto, em plena ditadura, no seio de uma família carenciada e politicamente desperta. Cedo iniciou uma participação social e política que se tornou cada vez mais ativa, marcada por três factos relevantes: a campanha eleitoral do General Humberto Delgado; a tentativa, bem-sucedida, de não ser mobilizado para a Guerra Colonial; e as três prisões a que é sujeito pela PIDE, em 1969, 1971 e 1973. Na luta contra o regime, qualquer acontecimento lhe serviria de pretexto para baralhar a ordem estabelecida. A coragem e a convicção da razão que o movia, mais fortes do que o medo, marcaram a sua intervenção e percurso de vida. Fotógrafo de profissão, descobriu na sua máquina uma arma com enorme potencial de denúncia e de memória. A exposição pode ser visitada entre os dias 30 de abril e 1 de junho de 2024.

Em maio, José Mouga regressa oficialmente a “casa” e o Município de Viseu exibe parte do legado artístico do pintor viseense, nome maior da arte contemporânea

"Movimento do Traço”, com curadoria de Luiz Antunes, inaugura a 4 de maio. A Quinta da Cruz consolida assim o seu estatuto como Centro de Arte Contemporânea, ao se comprometer com a investigação, salvaguarda e promoção de parte do espólio artístico de relevância nacional deste autor viseense, em processo de doação pela família ao Município A partir do próximo dia 4 de maio, a Quinta da Cruz – Centro de Arte Contemporânea de Viseu abre as suas portas a uma nova exposição e convida a comunidade a mergulhar no universo daquele que é considerado um dos nomes maiores da arte contemporânea dos séculos XX e XXI – José Mouga. Com curadoria de Luiz Antunes, bailarino, coreógrafo e, investigador, a exposição "Movimento do Traço” irá ocupar o edifício principal do Centro de Arte Contemporânea, permitindo ao público visitar uma seleção do universo visual de José Mouga. A mostra exibe um conjunto de 34 pinturas e 25 desenhos, que abrangem diversas fases e linguagens do percurso do artista plástico viseense.  A concretização desta exposição traduz uma parte visível de um extenso trabalho do Município de Viseu iniciado em 2020 e, marcado em março de 2021, com a primeira transferência de parte da obra do artista, do seu ateliê em Caxias para Viseu, no seguimento do protocolo de doação e depósito aprovado em fevereiro desse mesmo ano. O acordo estabeleceu as condições de doação e depósito pela família do espólio artístico de José Mouga à autarquia viseense, composto por pintura, desenho, escultura, cadernos de registo, entre outros com a intensão de criar um serviço de investigação e práticas artísticas através da constituição de uma reserva técnica visitável, que permitirá o estudo da obra, a sua salvaguarda e um conjunto de dinâmicas de investigação em torno do trabalho deste autor. José Mouga nasceu em Viseu no ano de 1942. Licenciou-se em Pintura pela Escola Superior de Belas-Artes do Porto, com louvor e distinção, e obteve uma pós-graduação em Pintura na St. Martin's School de Londres como bolseiro da Fundação Gulbenkian, de 1973 a 1976. Regressou a Portugal em 1976, fazendo de Lisboa a sua residência. Foi professor efetivo de Educação Visual, bem como responsável pelo Departamento de Pintura no Ar.Co e membro da sua Direção. Foi ainda professor e coordenador do curso de pintura do Instituto de Artes e Ofícios, da Universidade Autónoma de Lisboa. Faleceu a 27 de setembro de 2016, em Lisboa.

Viseu celebra os 50 anos da Liberdade com programa de atividades para toda a comunidade

Viseu recebe grande concerto da banda Os Quatro e Meia, no Campo de Viriato. Orquestra Juvenil de Viseu sobe a palco no dia 25 de Abril. Espetáculos, exposições e outras iniciativas integram o programa, em vários locais do concelho Em 2024, as comemorações do 25 de Abril ganham um significado ainda mais especial, considerando os 50 anos da democracia e da liberdade, as duas grandes conquistas da Revolução de 1974.  Na Cidade-Jardim, o Município e a Assembleia Municipal de Viseu promovem uma programação abrangente, que vai muito para lá dos atos formais e solenes que a data exige, apresentando concertos, espetáculos, exposições e outras iniciativas, e convidando toda a comunidade a associar-se às celebrações.  Na véspera do "Dia da Liberdade”, Viseu acolhe, no Campo de Viriato, no estacionamento em frente ao Multiusos de Viseu, um grande concerto, de entrada gratuita, da banda Os Quatro e Meia. Depois da estreia na Feira de São Mateus, em 2023, o grupo de Coimbra está de regresso à cidade de Viseu, para aquela que se espera ser uma noite de "casa cheia”, ao som de êxitos como "Olá Solidão”, "Coisas tão bonitas” ou "Não respondo por mim”.  No panorama musical, os espetáculos não se esgotam nesta noite. No dia 25 de abril, a Orquestra Juvenil de Viseu, com o convidado Daniel Pinto, será responsável pelo concerto das comemorações oficiais, agendado para as 17H30, na Aula Magna do Instituto Politécnico de Viseu. A entrada é gratuita, sujeita ao levantamento prévio de ingresso, dada a lotação do espaço.  O espetáculo precede a um conjunto de atos oficiais, os quais terão início pelas 9H30, com o reconhecimento dos Órgãos Municipais ao papel do Regimento de Infantaria nº 14 de Viseu no 25 de Abril, no próprio Regimento.  Segue-se, pelas 10H15, a habitual homenagem aos Capitães de Abril, na avenida com o mesmo nome, assinalada simbolicamente com a deposição de uma coroa de flores.  Este ano, a Sessão Solene da Assembleia Municipal de Viseu terá o seu lugar no Viriato Teatro Municipal, com início pelas 11 horas. Participará nesta sessão, como convidado-conferencista, o Tenente-General António Luís Ferreira Amaral, com uma comunicação subordinada ao tema "Meio Século de Encruzilhadas”. No assinalar dos 50 anos da Liberdade, um conjunto de exposições emergem na Biblioteca Municipal D. Miguel da Silva e nos Museus Municipais, desafiando o público a fazer uma viagem no tempo e a conhecer, em pormenor, acontecimentos, figuras e histórias do período do Estado Novo. Até 31 de maio, a "Casa dos Livros” apresenta a exposição "Livros sem Censura”, no átrio do edifício. Uma mostra de 100 livros, os quais foram proibidos pela ditadura do Estado Novo, de 93 importantes autores portugueses e estrangeiros, entre os quais Judith Teixeira, Manuel Alegre, Bernardo Santareno, Maria Teresa Horta, Jorge Amado, entre outros.  Também até ao final deste mês, na Galeria do 1º piso, a Biblioteca Municipal acolhe a exposição fotográfica "A Guerra Colonial”, da Associação dos Deficientes das Forças Armadas (ADFA), a qual visa mostrar às gerações atuais o que foi a Guerra Colonial, o sofrimento de uma geração e a importância que a guerra teve na sociedade militar e civil, assim como a relevância dos 50 anos da ADFA. São ainda mais duas as atividades que a Biblioteca tem agendadas para os próximos dias. Este sábado, dia 13 de abril, pelas 15 horas, terá lugar a oficina de escrita criativa "Riscos da Liberdade”, no anfiteatro infantil. Uma atividade dirigida a crianças dos 6 aos 12 anos, acompanhadas por um adulto, sujeita a inscrição prévia para o email biblioteca@cmviseu.pt.  Já no dia 20 de abril, a Trimagisto – Cooperativa de Experimentação Teatral apresenta o espetáculo-concerto "Levantei-me do Chão”, criado e interpretado por Carlos Marques, a partir da obra "Levantado do Chão”, do escritor José Saramago. Será pelas 15 horas, na Sala Polivalente, e é dirigido ao público em geral, maior de 12 anos. A participação é sujeita a inscrição prévia para o email biblioteca@cmviseu.pt.  No caso dos Museus Municipais, está também patente, na Casa da Ribeira, a exposição "Mulheres antes de Abril”, inaugurada no passado Dia Internacional da Mulher, que homenageia e reflete sobre o papel das mulheres na sociedade, tanto antes como depois do 25 de Abril de 1974.  Nesta mostra, os visitantes têm a oportunidade de visualizar vídeos do Arquivo da RTP que abordam temas como o ideal feminino do Estado Novo, os direitos das mulheres e o impacto do livro "Novas Cartas Portuguesas" durante o período da ditadura. Além disso, a exposição destaca proibições enfrentadas pelas mulheres na época, como o direito ao voto e ao divórcio, entre outras restrições. E porque uma imagem vale mais que mil palavras, o Museu Almeida Moreira irá ser berço de outra exposição temática, do fotógrafo portuense Sérgio Valente. Intitulada "Um fotógrafo da Revolução”, a referida exposição, que irá inaugurar no dia 30 de abril, será constituída por 60 fotografias, a cores e a preto e branco, que documentam um vasto número de acontecimentos e os seus protagonistas, os quais a objetiva de Sérgio Valente foi captando entre os anos de 1964 e 1982, nos vários concelhos do distrito do Porto, com maior incidência na cidade do Porto. A mostra estender-se-á também à Praça da República (Rossio), com a exibição de algumas das fotografias a céu aberto.  A par das exposições, outras ações complementam a programação. No dia 20 de abril, sábado, o Museu Keil Amaral recebe a conversa "Geração de Abril”, com Francisco Pires Keil do Amaral e Lira Keil do Amaral. Um momento de convívio e partilha das suas diferentes experiências e visões em torno do antes e depois da Revolução dos Cravos.  Há ainda oficinas criativas para crianças e jovens, as suas famílias e a comunidade em geral. É o caso da "Oficina dos Cravos”, na Casa da Ribeira, até ao final do ano; a oficina "Escolhe o teu herói”, no Museu Almeida Moreira, no dia 24 de abril; a oficina "Eu sou livre”, no Museu de História da Cidade, até 30 de abril; a oficina "A Mulher no Mundo Rural”, no Museu do Linho de Várzea de Calde, até 30 de abril; ou o workshop de aguarelas "Cravos de Abril”, no Museu Keil do Amaral, a 20 de abril.  De ressalvar, ainda, o espetáculo "Natália(s)”, uma peça inspirada na vida e obra de Natália Correia, com encenação de Mariana Silva e texto de Paulo Viegas, o qual terá lugar nos dias 24 e 26 de abril, pelas 21 horas, na Escola Secundária Alves Martins. Mais informações sobre o acesso ao mesmo serão reveladas brevemente. Na Cidade Europeia do Desporto, o 25 de Abril vai ser celebrado da forma mais ativa e saudável com a realização de uma prova de duatlo, organizada pela Associação "Os Infantes de Viseu”, e coorganizada pelo Município de Viseu. Com arranque marcado para as 10 horas do Dia da Liberdade, o Duatlo 25 Abril dividir-se-á pelas seguintes distâncias: cinco quilómetros de corrida, seguidos de vinte quilómetros de ciclismo, terminando com uns adicionais 2,5 quilómetros de corrida, com o Regimento de Infantaria nº 14 a ser escolhido como o local de partida e chegada da prova. Esta é uma prova inserida na agenda da Cidade Europeia do Desporto, parte do calendário de provas oficiais da Federação de Triatlo de Portugal, e para a qual as inscrições já se encontram abertas.  Esta prova tem também como objetivo a promoção e maior divulgação das modalidades de duatlo e triatlo, modalidades em crescimento no concelho de Viseu e representadas por clubes que enaltecem princípios como o respeito, a resiliência e superação pessoal, a diversidade, a competitividade e o fairplay. A programação das comemorações do 25 de Abril estende-se também às Freguesias do concelho que dinamizam um conjunto de iniciativas, convidando a comunidade ao envolvimento e participação. 

“Viseu Destino Gastronómico” celebra os saberes, sabores e aromas do Dão, este fim de semana, no Mercado 2 de Maio

Diogo Rocha, Chef do Restaurante Estrela Michelin "Mesa de Lemos”, é o padrinho do evento. Sofia Escobar estreia o fim de semana com um grande concerto na noite do dia 19, de entrada livre e gratuita. Restaurantes de Viseu darão a conhecer histórias e provas de sabores e petiscos, e Quintas do Dão irão ocupar a Praça com provas de vinhos e azeite. Música e workshops fazem ainda parte desta ementa, nos dias 20 e 21 de abril Em fevereiro deste ano, Viseu foi eleito "Destino Gastronómico do Ano”, pela Revista de Vinhos, na 27ª edição dos prémios "Os Melhores do Ano 2023”. No próximo fim de semana, de 19 a 21 de abril, o Município de Viseu celebra esta distinção com todos os viseenses, visitantes e turistas, no Mercado 2 de Maio, com a realização do evento "Viseu Destino Gastronómico”.  "Esta distinção vem apenas atestar aquilo que todos nós já sabemos, que a cidade e região de Viseu são mestres na arte de bem receber e cozinhar. A nossa gastronomia é hoje mais que um cartão-de-visita: é o nosso ADN. É algo que orgulha toda a comunidade beirã”, destaca o Presidente da Câmara Municipal, Fernando Ruas. "Este fim de semana, será uma oportunidade única para todos celebrarmos os verdadeiros sabores e aromas do Dão, no coração do nosso Centro Histórico”, afirma.  Os operadores de restauração presentes darão a conhecer histórias da gastronomia local, farão apresentações e demonstrações de conceitos e pratos e/ou irão confecionar sabores e petiscos para degustação, da cozinha tradicional à contemporânea. Provas de vinhos com produtores e Quintas do Dão, workshops para os amantes dos néctares da região e muita música à mistura serão os "pratos principais” desta ementa que, ao longo de três dias, fará do Mercado 2 de Maio um espaço privilegiado de convívio e celebração do melhor que a Beira – e as suas gentes – tem para oferecer. A iniciativa é apadrinhada pelo conceituado e premiado Chef viseense Diogo Rocha, à frente do Restaurante Estrela Michelin "Mesa de Lemos”. Na sexta-feira, pelas 18 horas, o evento abrirá portas com um momento de especial reconhecimento aos operadores de restauração, seguido de um brinde oficial. Na cozinha made by Notch, que ocupará o centro do piso inferior do Mercado, a DJ Rita Mendes estará responsável pela animação musical desta estreia, acompanhando, logo de seguida, o Chef Diogo Rocha num momento imperdível – o TRI(ELO). À noite, pelas 21 horas, o palco do Mercado 2 de Maio voltará a vibrar com o talento da cantora e atriz portuguesa Sofia Escobar, que será acompanhada ao piano por Helder Godinho, num concerto de entrada livre e gratuita.  Sofia Escobar é uma das personalidades mais reconhecidas do mundo da música e do teatro, com um extenso currículo na participação em musicais de renome, como "O Fantasma da Ópera” ou o "West Side Story”. Recebeu o prémio para "Melhor Atriz num Musical” nos Whatsonstage Theatregoer’s Choice Awards e foi nomeada na mesma categoria para os prémios Laurence Olivier, pela sua atuação em "West Side Story”.  "Tanto Mais” é o primeiro álbum da cantora, em nome próprio, editado em 2022, com canções escritas por Renato Júnior, Helder Godinho, Jasmim Teixeira, Artur Guimarães e pela a própria.  Depois de uma estreia promissora, o fim de semana promete não desiludir.  O evento gastronómico propõe uma prova de azeite por Cátia Correia, da Quinta de Lemos, pelas 12 horas, desafiando o público a conhecer melhor este néctar, fruto da oliveira. Às 13 horas, será o Restaurante "O Cortiço” a marcar presença na cozinha, seguindo-se, pelas 14 horas, a Rústica – Padaria Tradicional. E porque o fim de semana não se faz apenas de histórias, demonstrações e degustações "a pedido”, a tarde de sábado reserva dois workshops alusivos à temática dos vinhos. O primeiro, pelas 15 horas, será com Mafalda Perdigão, da Quinta do Perdigão, e intitula-se "Como provar vinho sem fazer má figura?”; já o segundo, pelas 17 horas, conta com a Quinta da Mariposa e terá como convidada Lúcia Freitas, que realizará um "Curso Express”, de como ser um "expert” em vinhos do Dão.   Este será um momento aberto a todos, sem necessidade de inscrição, e uma oportunidade para os "amadores” poderem aprender conceitos básicos da enologia, inclusive como escolher o melhor vinho para cada ocasião.  Ainda no sábado, pelas 16 horas, a cozinha será liderada pelo Palace Restaurante, com a música e boa vibe do DJ GRYZZLER a acompanhar. Logo pelas 18 horas, tem presença marcada na cozinha do Mercado a Taberna da Milinha. O Chef Diogo Rocha regressa ao leme deste espaço gastronómico de excelência pelas 19 horas, para um sunset especial, com o DJ GRYZZLER a moderar a playlist. Pelas 21 horas, o palco do Mercado 2 de Maio, no piso superior, voltará a acender as suas luzes para receber a atuação do Coletivo Gira Sol Azul, com Ana Bento, Jasmim Pinto, Joaquim Rodrigues, Bruno Pinto, Olívia Pinto e Lucas Cardoso.  Num concerto de entrada livre e gratuita, o Coletivo apresentará neste espetáculo musical diversos temas do cancioneiro jazz, blues e bossa nova. O sexteto, composto por voz, guitarra, piano, baixo, trompete e bateria, acrescentará novos elementos às canções, cuja liberdade e intemporalidade é assim celebrada numa nova dimensão. No domingo, terceiro e último dia do "Viseu Destino Gastronómico”, o Mercado abrirá as suas portas pelas 12 horas, com o QB – Brunch & Cocktails, respondendo à tendência slow morning, ao convidar todos os food lovers para um final de manhã/ início de tarde calmo e relaxante. O saxofonista Tiago Taborda dará o tom certo para este momento de degustação.  Ao longo da tarde, o Seven Secrets Restaurante, o Home Sushi & Asian Food – Viseu e a Quinta de Marzovelos estarão também presentes na cozinha do Mercado, para confecionar um menu variado de sabores e apresentar os seus espaços e conceitos gastronómicos.  A encerrar o dia, estará o Flora Restaurante, dirigido por João Guedes Ferreira, ao qual foi atribuído o Bib Gourmand 2024, uma categoria Michelin que distingue os restaurantes com boa relação qualidade/preço. A música estará a cargo do DJ The Rock, que encerrará o evento com chave d’ouro.  É ainda de destacar a presença de diversos produtores e Quintas do Dão neste evento, os quais irão proporcionar provas de vinhos, no espaço "Entre Aduelas”. Através da compra do copo, no balcão de venda no local, o visitante terá direito a um determinado número de provas, podendo assim experienciar todos os aromas do Dão, contactando também com aqueles que estão na origem e produção destes vinhos de excelência.  Este espaço estará em permanência no horário do evento: no dia 19, entre as 18 e as 22 horas; no dia 20, entre as 12 e as 22 horas; e no dia 21, entre as 12 e as 18 horas.  "Reunimos aqui um conjunto de ingredientes-chave para fazer deste um evento especial, em plena primavera. A Cidade-Jardim celebra o seu estatuto de destino gastronómico e reforça, ainda, o seu potencial como destino turístico de excelência”, sublinha a Vereadora da Cultura e Turismo, Leonor Barata. "Mais uma vez, Viseu aposta na valorização e promoção dos seus produtos e talentos, ao promover um fim de semana com propostas para todos, que serve de palco aos operadores gastronómicos da cidade e região, mas também aos produtores e Quintas do Dão”, realça a Vereadora.  Esta é uma iniciativa organizada pelo Município de Viseu, com o apoio da NOTCH, da ACDV - Associação Comercial do Distrito de Viseu, da AHRESP - Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, da CVR Dão - Comissão Vitivinícola Regional do Dão e da Viseu Marca.

Museu do Quartzo acolhe nova exposição de pintura

“Paisagens aladas com efervescência do pensamento” é da autoria de Ricardo Cardoso e inaugura a 6 de abril No dia 6 de abril, o Museu do Quartzo - Centro de Interpretação Prof. Galopim de Carvalho acolhe a inauguração da exposição “Paisagens aladas com efervescência do pensamento”, da autoria do artista da região Ricardo Cardoso. Segundo o autor, neste projeto, a sua pintura apresenta-se mais abstrata, onde o principal enfoque é a matéria e a cor, tornando a forma quase inexistente, fundindo-se com o fundo e criando uma configuração orgânica, transmitindo-lhe um movimento constante, quase impossível de congelar entre quatro cantos, ganhando diferentes sentidos a cada apreciação. A exposição assinala, também, os 25 anos de atividade artística de Ricardo Cardoso, e ficará patente até 31 de maio. O momento de inauguração realiza-se no dia 6 de abril, sábado, pelas 16 horas, e vai contar com uma performance artística do autor e com a instalação sonora de Luís Antero “Infinito”. A entrada é livre.

No Dia Mundial do Teatro, Viseu celebra o emblemático Ruy de Carvalho, com exposição fotográfica na Casa da Ribeira

“Retratos Contados de Ruy de Carvalho”, com curadoria de Nélson Mateus, abre o álbum de memórias do ator português, com 82 anos de carreira. Exposição inaugura no dia 27, pelas 17H30, e conta com a presença do homenageado A Casa da Ribeira acolhe, na próxima quarta-feira, dia 27 de março, Dia Mundial do Teatro, a inauguração da exposição “Retratos Contados de Ruy de Carvalho”, uma mostra fotográfica com a curadoria de Nélson Mateus. A exposição homenageia o ator português Ruy de Carvalho que, com 97 anos, é o mais velho no ativo, somando já 82 anos de uma carreira nos grandes palcos e cenários deste país. A mostra exibe alguns dos momentos mais emblemáticos do percurso do homenageado, em espetáculos realizados no Teatro D. Maria II e noutros teatros, dando ao conhecer ao público as múltiplas personagens, facetas e “vidas” que tão bem interpretou e representou. Memórias da sua vida pessoal terão também lugar neste espólio. Formado pelo Conservatório Nacional, Ruy de Carvalho atuou pela primeira vez no Teatro Nacional D. Maria II, em 1947, integrado na Companhia Rey Colaço-Robles Monteiro. Mais tarde, na reabertura do teatro, em 1978, entrou para o elenco residente, onde permaneceu até 2000. Ao longo das oito décadas que compõem o seu percurso, pisou o palco do D. Maria II em cerca de 50 produções. A inauguração está agendada para as 18H30, seguindo-se uma visita guiada pelo curador e uma tertúlia com o ator, que brindará os viseenses e visitantes com a sua presença, testemunho e história de vida. Esta iniciativa integra o projeto Retratos Contados, que surgiu da vontade de Nélson Mateus em abordar o papel fulcral dos avós na vida dos netos e dos netos na vida dos avós, promovendo esta bonita, urgente e necessária dinâmica intergeracional, ao mesmo tempo que se trazem à tona importantes questões como o envelhecimento, a solidão e abandono dos mais velhos. A exposição de Ruy de Carvalho é apenas uma das várias  iniciativas deste projeto e tem assumido um caráter itinerante, tendo já sido exibida noutras cidades do país.

Em 2024, “Viseu Doce” realiza-se na Pousada de Viseu, dias 16 e 17 de março

Mostra de doçaria está de regresso com os melhores doces e vinhos da região Este ano, a Pousada de Viseu acolhe a 4ª edição do “Viseu Doce”, o evento que junta, num só local, o melhor da doçaria da região. BISCAKE.COME, Cavacas da Adozinda, Confeitaria Amaral, Escola Profissional de Vouzela, Forno da Serra, Pastelaria HORTA, Leonidas Chocolates, Pastéis de Feijão “Flor da Ponte”, Rústica, Sabores de Sul, Tempus Gulosos, Simplesmente Bolo, Quinta do Medronheiro, Confeitaria La Bassani e Mininês são os comerciantes que estarão presentes. Numa organização conjunta entre o Município de Viseu, a Associação Comercial do Distrito de Viseu (ACDV) e a Viseu Marca, a edição de 2024 do “Viseu Doce” vai acolher 15 operadores de doçaria da região, os quais serão acompanhados por diversos produtores de vinho do Dão. A entrada é livre e o evento decorre entre as 14 e as 19 horas no sábado; e das 11 às 18 horas no domingo.

Cidade-Jardim celebra época Pascal com mais de 100 atividades e estreia programação com fim de semana dedicado à doçaria regional e aos vinhos do Dão

VISEU DOCE realiza-se nos dias 16 e 17 de março, na Pousada de Viseu. Domingo de Páscoa será marcado por um grande concerto da Orquestra Filarmonia das Beiras, na Igreja do Seminário Maior. Programa descentralizado conta ainda com várias celebrações religiosas e manifestações de fé De 16 de março a 1 de abril, a “Melhor Cidade para Viver” desperta para a nova estação primaveril com duas grandes iniciativas, importantes marcos da agenda cultural do concelho. O VISEU DOCE está de regresso, no fim de semana de 16 e 17 de março, abrindo as portas à programação da Páscoa, a qual se prolongará até ao início do mês de abril. Este ano, a Pousada de Viseu acolhe 4ª edição do VISEU DOCE, o evento que junta, num só local, o melhor da doçaria e vinhos da região. BISCAKE.COME, Cavacas da Adozinda, Confeitaria Amaral, Escola Profissional de Vouzela, Forno da Serra, Pastelaria HORTA, Leonidas Chocolates, Pastéis de Feijão “Flor da Ponte”, Rústica, Sabores de Sul, Tempus Gulosos, Simplesmente Bolo, Quinta do Medronheiro, Confeitaria La Bassani e Mininês são os comerciantes que estarão presentes. A entrada é livre. Numa organização conjunta entre o Município de Viseu, a Associação Comercial do Distrito de Viseu (ACDV) e a Viseu Marca, a edição de 2024 do VISEU DOCE vai acolher 15 operadores de doçaria da região, os quais serão acompanhados por diversos produtores de vinho do Dão. As novidades, contudo, não se ficam por aqui, sendo que viseenses, visitantes e turistas terão ainda oportunidade de desfrutar de uma extensa programação, entre os dias 17 de março e 1 de abril, dedicada à celebração da Páscoa. A Orquestra Filarmonia das Beiras regressa a Viseu para protagonizar um grande concerto, em pleno Domingo de Páscoa, a 31 de março, pelas 16H30, na Igreja do Seminário Maior de Viseu. Sob a direção do Maestro Jan Wierzba, a Orquestra apresentar-se-á no palco deste  exemplar do património religioso viseense com um espetáculo no qual irá interpretar as obras “Stabat Mater”, de Antonio Vivaldi, e “Canções Bíblicas Op. 99”, de Antonin Dvorak. O contratenor João Pedro Azevedo e o barítono Tiago Matos juntar-se-ão ao grupo nesta tarde. Várias celebrações religiosas e manifestações de fé, alusivas a várias religiões, terão lugar um pouco por todo o concelho, dando lugar a um verdadeiro roteiro pascal. O programa conta com encenações da Via Sacra no Campo, em Côta, em Mundão, em Ranhados, em Repeses e São Salvador, e em Barreiros e Cepões; mas também outros momentos de culto, traduzidos em eucaristias, cânticos e amentações das almas, bênçãos e procissões, vigílias e ofícios de leituras e laudes ou visitas pascais, quer promovidos pelas diversas Paróquias da Diocese de Viseu, como pelas Igreja Evangélicas Baptista e Assembleia de Deus de Viseu. A programação da Páscoa reserva também atividades pensadas à medida dos mais pequenos, oferecendo um conjunto de atividades criativas e de leitura para o período de férias escolares, tanto nos Museus Municipais como na Biblioteca Municipal D. Miguel da Silva. "Enlaçar a Páscoa", na Casa da Ribeira; “Fases do Linho”, no Museu do Linho de Várzea de Calde; “Pint'o prato", no Museu Almeida Moreira; "Trilho Misterioso", na Quinta da Cruz - Centro de Arte Contemporânea; "Ovos: todos diferentes ou todos iguais?", no Museu do Quartzo - Centro de Interpretação Prof. Galopim de Carvalho; "O Fascínio da Natureza", no Museu de História da Cidade; e “Desenhar o Museu”, no Museu Keil Amaral, são algumas das propostas, destinadas ao pré-escolar, 1º, 2º ou 3º ciclos e famílias, sujeitas a marcação prévia e com o custo de 1 euro por participante. Já na “Casa dos Livros”, estão agendadas diversas atividades de conto, leitura e oficinas para crianças, assim como performances artísticas e de teatro e apresentações de livros, todas elas de participação gratuita. Destaque para o espetáculo "(DES)LIBERDADE", da Plasticena Teatro, a 6 de abril, alusivo ao 25 de Abril e aos 50 anos da Liberdade, para toda a família. A programação da Páscoa em Viseu será igualmente enriquecida com outros projetos e iniciativas apoiadas pelo programa municipal EIXO CULTURA. É o caso da 4ª edição do Festival Internacional de Dança Jovem LUGAR FUTURO, promovida pela Escola de Dança Lugar Presente, entre os dias 21 e 24 de março; do concerto de apresentação do álbum “O povo que já não canta”, d’O Marta, a 23 de março; de uma nova sessão do projeto Shor/Age, da Narrativa Magnética, a 22 de março; ou do workshop “Passeio à descoberta das plantas silvestres e os seus usos”, da Associação Quinta Oficina, a 17 de março.

Município de Viseu celebra Dia Internacional da Mulher com nova exposição e conversa na Casa da Ribeira

“Mulheres Antes de Abril” é o nome da exposição que inaugura dia 8 de março, pelas 17H30. Pelas 18 horas, realiza-se a conversa "Ser Mulher antes e depois de Abril" Na próxima sexta-feira, 8 de março, data que assinala o Dia Internacional da Mulher, o Município de Viseu promove dois eventos na Casa da Ribeira, com o intuito de homenagear e refletir sobre o papel das mulheres na sociedade, tanto antes como depois do 25 de Abril de 1974. Pelas 17H30, realiza-se a inauguração da exposição intitulada "Mulheres Antes de Abril", que pretende retratar a realidade feminina antes da Revolução dos Cravos. Os visitantes terão a oportunidade de visualizar vídeos do Arquivo da RTP que abordam temas como o ideal feminino do Estado Novo, os direitos das mulheres e o impacto do livro "Novas Cartas Portuguesas" durante o período da ditadura. Além disso, a exposição irá destacar proibições enfrentadas pelas mulheres na época, como o direito ao voto e ao divórcio, entre outras restrições. Pouco depois, às 18 horas, terá lugar mais uma edição das "Conversas Memoráveis" na Casa da Ribeira; desta vez, o tema é "Ser Mulher antes e depois de Abril". O painel de oradoras contará com a participação de Leonor Barata, Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Viseu, Anabela Silveira, Professora aposentada e Investigadora do Instituto de História Contemporânea, Virgínia Lourenço Maurício, Vice-Presidente do Grupo Etnográfico de Trajes e Cantares de Várzea de Calde, e Maria Teresa Horta, autora do livro "Novas Cartas Portuguesas". Esta última participará através de vídeo, relembrando o processo judicial pelo qual passou em 1972 devido à sua obra. Ambos os eventos são de entrada livre, estando sujeitos à lotação do espaço. Esta iniciativa é organizada pelo Município de Viseu, através da Casa da Ribeira, com o apoio da Ephemera.

Consulte aqui a programação trimestral do Município de Viseu | janeiro, fevereiro e março 2024

Descubra o charme de Viseu através da nossa agenda cultural trimestral, que reúne uma seleção dos principais eventos da cidade, nas mais variadas áreas. Desde as exposições nos nossos Museus Municipais, à atmosfera da Biblioteca Municipal, até concertos e espetáculos, Viseu promete encantar os visitantes com a sua diversidade cultural e artística. Mergulhe na programação do primeiro trimestre de 2024, que abrange os meses de janeiro, fevereiro e março, e planeie a sua visita para experienciar o melhor que a nossa cidade tem para lhe oferecer. AGENDA CULTURAL TRIMESTRAL | JANEIRO, FEVEREIRO E MARÇO 2024 Seja bem-vinda/o a Viseu, onde a cultura e a história se encontram em cada esquina. Ficamos à sua espera!

3ª edição do Dizer Poesia evoca Camões nos 500 anos do seu nascimento

O "Príncipe dos Poetas” dá o mote a um programa de 40 ações, que decorre de 21 a 24 de março, em Viseu. A fadista Lina e a rapper Capicua são nomes com presença garantida no cartaz musical. Espetáculo RUGE, de Rodrigo Guedes de Carvalho, e performance de Pedro Freitas, o "Poeta da Cidade”, em destaque na programação Pelo terceiro ano consecutivo, a Cidade-Jardim dá as boas-vindas à primavera com o DIZER POESIA. De 21 a 24 de março, o evento apresenta um programa eclético, com cerca de 40 ações, da poesia à música, passando por conversas, performances e exposições, cinema e visitas guiadas, sem esquecer um conjunto de atividades para os mais pequenos. Nesta 3ª edição, o DIZER POESIA evoca e homenageia aquele que é considerado o maior poeta português de todos os tempos, o "Príncipe dos Poetas”: Luís Vaz de Camões. Precisamente no ano em que são celebrados 500 anos do seu nascimento, o evento elege a figura e a sua vasta obra como pontos de partida para quatro dias intensos, dedicados ao género literário.  A par da Casa Amarela, que nos anos anteriores se assumiu como espaço-âncora do evento, o renovado Mercado 2 de Maio será também, este ano, espaço de eleição para receber concertos e performances. A Biblioteca Municipal D. Miguel da Silva, o Museu Almeida Moreira, o Museu de História da Cidade e o Museu Keil Amaral irão constar, igualmente, do leque de "palcos” do DIZER POESIA, especialmente na oferta para as crianças e famílias.  Ao longo destes dias, a poesia sairá à rua, numa revisitação muito particular da obra de Camões, mas também de outros poetas e autores portugueses de renome.  Desde logo, a Praça da República (Rossio) acolherá uma exposição temática, constituída por uma seleção de poemas de Luís Vaz de Camões, desafiando a comunidade a interagir e a conhecer, de forma criativa, a obra do poeta.  Já no fim de semana, em espaços emblemáticos da cidade, realizar-se-á o "Aqui Há Poesia”, com visitas guiadas pelo Grupo OFF. Numa mistura de poesia, música e dança, a iniciativa multidisciplinar convida os participantes a (re)descobrir Camões, Aquilino Ribeiro, Luís Miguel Nava, Judith Teixeira, Augusto Hilário, entre outros.  Ainda na vertente expositiva, a Casa Amarela acolherá, de 21 a 24 de março, a mostra "Deuses do Olimpo”, que exibirá um conjunto de desenhos do arquiteto Luís Teles, a partir da obra "Os Lusíadas”. Neste contexto, será ainda lançado um livro com o mesmo nome, no dia 21, na Sala Judith Teixeira, em parceria com as Edições Esgotadas.  Na Sala Luís Miguel Nava, várias edições especiais, nacionais e estrangeiras, d’Os Lusíadas, provenientes do Fundo Antigo da Biblioteca Municipal de Viseu, estarão aqui expostas, proporcionando a todos uma oportunidade única para observar de perto este património único e de valor inestimável, guardado e preservado na "Casa dos Livros”.  Ainda numa aproximação ao "Príncipe dos Poetas”, a Sala Luís Miguel Nava, envolta num ambiente a preceito, assumir-se-á como um espaço lounge, de conhecimento e reflexão, disponibilizando aos visitantes a playlist "Camões ao Ouvido”. Diversos poemas do autor poderão ser ouvidos, numa declamação "ao ouvido” por vários jovens viseenses e personalidades convidadas.  Fazendo jus ao nome do evento, e na verdadeira aceção da palavra, destaca-se, igualmente, um momento especial no campo da performance.  Num registo spoken-word, no dia 24, o programa apresenta Pedro Freitas, mais conhecido como o "Poeta da Cidade”. O jovem escritor e diseur de poesia ganhou reconhecimento no universo digital, ao partilhar e declamar poemas, escritos e ditos, incentivando a paixão pela literatura junto da comunidade.  Em Viseu, Pedro Freitas protagonizará um espetáculo poético-musical, a partir do livro "Ela - Metafisicamente d’outro Mundo”, apresentando um registo diferente do habitual, no qual interpreta os textos com um conjunto de ambiências sonoras.  Numa harmonização perfeita entre a poesia e a música, a Cidade-Jardim será ainda palco de quatro concertos e espetáculos de excelência. Na estreia do DIZER POESIA, o Mercado 2 de Maio acolherá a fadista Lina, que aqui celebrará o seu segundo e mais recente álbum em nome próprio, Fado Camões, dedicado à lírica do poeta português, numa colaboração com o produtor e músico britânico Justin Adams.  Aclamada pela crítica internacional pelo seu trabalho em parceria com o produtor catalão Raül Refree, ao trabalhar o reportório de Amália, Lina tem recebido inúmeros prémios europeus e mundiais - entre outros, foi vencedora da 1ª edição do Prémio Carlos do Carmo 2021 e ganhou o álbum do ano dos World Music Charts Europe 2020.  No segundo dia do evento, o DIZER POESIA apresenta RUGE - Poemas e Canções, um projeto de poesia e música de Rodrigo Guedes de Carvalho, Daniela Onís e Ruben Alves. Este é um espetáculo sobre o amor e tudo o que o rodeia, que cruza as palavras escritas, cantadas e faladas.  No sábado, dia 23, o Mercado 2 de Maio volta a ser o epicentro da palavra dita e cantada, com a atuação da artista Capicua. Misturando canções e poemas declamados, entre o rap e a palavra dita, a rima e a prosa poética, Capicua apresentar-se-á com a sua banda neste concerto que irá revisitar várias etapas da sua discografia e que espreitará para o seu "Aquário”, um livro de crónicas, letras e poemas, editado em 2022.  A fechar a terceira edição do evento, a 24 de março, estará o concerto "Do Amor e da Glória em Camões”, um projeto cuja composição musical original e interpretação é de Rui de Luna, com Marcos Lázaro no violino e Natália Luiza na declamação. Este é um espetáculo que une a poesia e a música, e que quer dar a ouvir alguma da poesia lírica deste poeta que atravessou o tempo e cujo nome se funde com o dia da nação portuguesa.  Na 3ª edição do DIZER POESIA haverá ainda lugar a "Conversas sem Guião”, ambas no sábado. Uma delas com Capicua; e a outra com a escritora Maria João Lopo de Carvalho, esta última sobre o seu livro "Até que o amor me mate: as mulheres de Camões”, o qual convida a conhecer as sete mulheres que cruzaram a vida do poeta, ao longo dos seus 55 anos, e as várias histórias de amores e desamores, conquistas e esperas.  De sublinhar o recital de poesia, a 22 de março, com poesia de Alfredo Keil, Maria Keil e Francisco Pires Keil do Amaral, que decorrerá na Casa Amarela.  E porque o DIZER POESIA não é apenas para adultos, o Município de Viseu, através da Biblioteca Municipal e dos Museus Almeida Moreira, Keil Amaral e de História da Cidade, preparou uma programação especial e gratuita para que crianças e jovens possam contactar com o universo literário, através de áreas como o cinema, a música, a escrita, o teatro ou as artes plásticas.  Em parceria com o Cine Clube de Viseu, regressam as "Curtinhas com Poesia” e as "Escolas Animadas”, ambas dedicadas a explorar os filmes de animação, as suas histórias e técnicas.  Já nos três Museus Municipais, os petizes poderão criar e declamar poemas, escritos e visuais, nas atividades "Vem fazer o teu poema (com som exterior)”, "Poemas saltam dos livros” e "Poesia Blackout”. Terá ainda lugar a iniciativa "Biblioteca no Jardim”, que desafia os participantes a criar uma pequena biblioteca gratuita no jardim do Museu Keil Amaral.  Já na "Casa dos Livros”, a Biblioteca Municipal D. Miguel da Silva, as crianças e as suas famílias terão oportunidade de participar na iniciativa "Poesia para miúdos. Histórias com poesia”, de contos e ateliês; no espetáculo ME.DO, de Joana Martins, baseado no livro do Sérgio Godinho "O pequeno livro dos medos"; ou no concerto pedagógico "Som da Palavra”, de Ana Sousa.  Nesta 3ª edição, o Município de Viseu volta a lançar uma OPEN CALL a todos os jovens entre os 15 e os 18 anos, residentes no concelho, desafiando a sua criatividade e talento para apresentarem trabalhos e obras em torno de áreas como o spoken word, a poesia, o poetry slam, o stand-up ou o discurso convencional, sobre um tema à sua escolha.  As candidaturas irão decorrer entre os dias 19 de fevereiro e 10 de março, havendo prémios pecuniários para os três primeiros lugares. Os resultados serão divulgados e apresentados publicamente na tarde de 24 de março. Por ocasião do DIZER POESIA, será ainda apresentada, no dia 21, a edição 2024 do Prémio de Poesia Judith Teixeira, o qual visa homenagear, de forma simbólica, a vida e obra da escritora viseense, ao mesmo tempo que promove a criação cultural e literária e auxilia os autores no acesso à edição dos seus textos.  Também de destacar, nesta programação, é a realização de ações de sensibilização e de escrita criativa poética, que estão a ser desenvolvidas com os reclusos do Estabelecimento Prisional de Viseu, no seguimento da dinamização e promoção da leitura e da escrita que tem vindo a ser realizada através da Biblioteca Municipal D. Miguel da Silva. 

164 “declarações” de amor à arte e ao território vão integrar a V Mostra de Arte Postal, em Viseu

A partir de 17 de fevereiro, a Quinta da Cruz – Centro de Arte Contemporânea acolhe esta exibição, com criações de 38 artistas, além de escolas e famílias, inspiradas no mote “Viseu Encontrei o Meu Amor” O projeto de Arte Postal regressa à Quinta da Cruz – Centro de Arte Contemporânea, em Viseu, desta vez com a V Mostra, resultado da convocatória internacional lançada em 2022, sob o mote “Viseu Encontrei o Meu Amor”. A exposição de criações postais inaugura no dia 17 de fevereiro, sábado, pelas 15 horas, no edifício do Forno, apresentando um conjunto de 164 trabalhos, verdadeiras “declarações” de amor à arte e ao território viseense. Em exibição vão estar 55 obras de 38 artistas – estes provenientes de 14 países -, às quais se somam outras 109 criações, resultado da participação de várias escolas e famílias nas Oficinas de Arte Postal, realizadas em 2023. Será possível observar o uso de diferentes técnicas e materiais, da pintura em aguarela e acrílico, à fotografia ou tinta da China, mas também diversas colagens e trabalhos com relevo. Na década de 1960, correspondências trocadas entre artistas plásticos deram origem a mais uma forma de expressão da arte contemporânea: a Arte Postal, conhecida como Mail Art. Esta consistia em trocar mensagens criativas utilizando o correio tradicional e surgiu como uma alternativa aos meios convencionais das exposições de arte (Bienais, Salões, entre outros). O projeto de Arte Postal é desenvolvido há 5 anos e conta já com uma participação superior a 550 envios, oriundos de vários pontos do mundo.